terça-feira, 23 de outubro de 2018

ARÁBIA SAUDITA, O REINO DO ESQUARTEJAMENTO DE JORNALISTAS


NO NOSSO LIVRO "VÁ E NÃO ME CHAME - Guia Turístico Politicamente Incorreto" (à disposição por menos de 20 reais no site http://www.amazon.com/dp/B018KSQM14), ANTECIPAMOS O QUE É O REINO SAUDITA, ONDE SER JORNALISTA É PROFISSÃO DE ALTÍSSIMO RISCO. Confiram esta prévia da página 42 do livro:

ARÁBIA SAUDITA
Olhamos a bandeira e já ficamos curiosos: o que está escrito? É a profissão de fé muçulmana: “Não há outra divindade digna de adoração exceto Alá e Maomé é seu profeta” ou, simplificando: “Alá é o único deus e Maomé seu único profeta”. A Arábia Saudita é um país tão grande que cabem dentro dela Minas Gerais, Bahia, Goiás, São Paulo, Paraná e, de quebra, Sergipe, num total de 1 milhão 960 mil quilômetros quadrados. Mas é tudo areia, um dos maiores desertos do mundo. Agora, areia em cima e petróleo embaixo. É um dos países mais ricos do planeta, mas com a riqueza toda concentrada nas mãos dos parentes do rei, cuja família, Saud, dá nome à própria nação. Os 29 milhões de sauditas vivem uma vidinha mais ou menos, mas alguns nobres árabes têm uma vida mais rica do que os mais ricos ocidentais.
A origem do termo Arábia vem de longe, da palavra em Sânscrito “arva”, através do Grego, significando “cavalo”, pois a região tem equinos notáveis. Já o termo saudita vem da família Saud, que tomou o poder na Península Arábica unificando as tribos num só país a partir de 1932. Terra de Maomé, fundador do Islamismo, é o centro de peregrinação mundial para os muçulmanos, assim como o Vaticano o é para os católicos.
Para um adepto da religião maometana, é local de turismo obrigatório, pelo menos uma vez na vida, segundo recomenda o “Corão”, o livro sagrado dos islamitas, correspondente à “Bíblia” para os cristãos.
Agora, para quem não é muçulmano, não há nada o que ver na Arábia Saudita.
42
É uma ditadura cruel, onde as mulheres são consideradas cidadãs de segunda classe, sem direitos. Os homo-afetivos são presos e até espancados. Heterossexuais que gostem de aventuras amorosas em suas viagens são tratados como tarados e presos ou expulsos. Mulher solteira não pode fazer sexo com ninguém e casada, se fizer com outro que não o marido é apedrejada em público. Mulheres não podem ser vistas em público sozinhas, só acompanhadas do pai ou do marido. Quem gosta de álcool, mesmo a simplória cervejinha, pode desencantar-se de vez, pois o álcool é proibido. Não há visto de turista na Arábia Saudita, você só pode entrar no país se tiver negócios a fazer lá, tiver um parente que lá resida ou então ser muçulmano para fazer sua visita obrigatória a Meca. E mesmo assim, em qualquer destas três condições, a burocracia é gigantesca para se conseguir entrar.
Enfim, uma nação toda em cima de um deserto com areia por todo lado e onde você não pode ir pra cama com ninguém de sexo nenhum e tampouco pode afogar as mágoas num copo de whisky por estar no fim do mundo. Onde você é vigiado 24 horas por dia no que veste, no que come, no que bebe, com quem fala e o quê fala. Nem pense em usar a Internet como fuga: a Internet é controlada.
Se você é islamita ou negocia com petróleo, vá, reze para Alá ou faça negócios bilionários. Seja feliz e rico. Se não está nestas duas categorias, nem pense.
Embaixada do Reino da Arábia Saudita no Brasil:
SHIS - QI 09 – Conj. 9 - Casa 18.
CEP 71625-090 - Brasília / DF
Telefones: (61) 3248-3523 / 3248-3525.
E-mail: bremb@mofa.gov.sa

quarta-feira, 5 de setembro de 2018

A ERA DOS IDIOTAS NO PODER

Muitas razões para Você NÃO IR às Filipinas.

toNY PACHEco

10º Lugar - RODRIGO DUTERTE, Filipinas

Eleito, em 2016, para presidir a maior nação católica da Ásia e a terceira do mundo, após o Brasil e o México, Rodrigo Duterte, conhecido pelo diminutivo "Digong" (Rodriguinho), tornou-se famoso internacionalmente por uma série de medidas completamente idiotas, fruto de uma mente doentia, mas, ao mesmo tempo, extremamente inteligente politicamente, pois ele fala a língua dos idiotas do seu país e parafraseando nosso sábio Nelson Rodrigues, dos idiotas é o futuro, pois eles são maioria.
Vejamos frases e medidas práticas do presidente filipino:
1) distribui armas gratuitamente a líderes comunitários que queiram matar viciados em drogas, da maconha à cocaína, da metanfetamina à heroína, sem ser necessário flagrante policial nem tampouco nenhum processo judicial - execução sumária autorizada;
2) sobre o fato de que não respeita o pensamento católico sobre o perdão, disse que "Deus é estúpido" e também que Deus é um "filho da puta";
3) o epíteto "filho da puta", aliás, é o mais usado pelo mandatário. Quando o ex-presidente Barack Obama, dos EUA, falou sobre a ausência de Direitos Humanos nas Filipinas, Duterte apenas disse: "Me respeite, seu filho da puta";
4) até o papa Francisco foi agraciado com um "filho da puta", seguido de uma advertência quando de sua visita às Filipinas, onde engarrafou o trânsito da capital Manila, irritando o presidente: "Volte pra sua casa e não volte às Filipinas", advertiu Duterte;
5) no seu discurso de posse, o presidente filipino disse em alto e bom som: "Se você conhece alguém viciado em drogas, o mate você mesmo, estará fazendo um bem à família dele" e, a partir daí, os assassinatos de viciados pelas ruas filipinas se contam aos milhares;
6) por esta "liberação do assassinato", Duterte foi acionado no Tribunal Penal Internacional, em Haia, por "crimes contra a Humanidade". Ao responder ao TPI, uma corte ligada à ONU da qual as Filipinas é participante, Duterte simplesmente retirou seu país da esfera do tribunal;
7) aproveitando a deixa, classificou as Nações Unidas (ONU), de órgão "inútil" e ainda agrediu o ex-secretário-geral do organismo, o sul-coreano Ban Ki-moon: "Me respeite, seu filho da puta"; 
8) ao reagir à União Europeia sobre advertência ao desrespeito aos Direitos Humanos em seu país, o presidente levantou o dedo e fez o tradicional "vá tomar no c...";
9) para o bispo católico filipino Arturo Bastes, Duterte "é uma aberração, um psicopata, uma mente anormal que nunca deveria ter sido eleito presidente"; em resposta o político disse que "as crenças tradicionais já não respondem às necessidades filipinas", isto num país que é conhecido internacionalmente pelas crucificações voluntárias na Semana Santa, com vários cidadãos sendo pregados em cruzes num festival de sangue sem igual;
10) e, por fim, o filho do presidente Digong, Paolo Duterte (ou Pablo Duterte), é acusado pelos raros políticos que têm coragem de ser oposição ao presidente, de ser membro de uma máfia chinesa de tráfico de metanfetaminas, o que o "playboy", claro, nega, com apoio do pai...
AMANHÃ TEM MAIS.

terça-feira, 29 de maio de 2018

BRASILEIRO, VIAJE PELO MUNDO SEM RISCO DE SER FUZILADO NA INDONÉSIA...

UM GUIA COM 200 PAÍSES DO MUNDO SOBRE TUDO QUE PODE ACONTECER DE BOM E DE RUIM NUMA VIAGEM INTERNACIONAL. POR APENAS MENOS DE 15 REAIS.

Faça um test drive GRATUITO do guia turístico acessando o site da Amazon:

http://www.amazon.com/dp/B018KSQM14


quinta-feira, 17 de maio de 2018

9 RAZÕES PARA NÃO IR À RÚSSIA NA COPA NEM ENQUANTO O GOVERNO PUTIN EXISTIR

toNY pAcheco



                                                    Príncipe Charles, da Inglaterra, compara Putin a Hitler
O famoso COI, o Comitê Olímpico Internacional, decidiu, em 1931, que a Olimpíada de Verão (este mesmo campeonato que aconteceu recentemente no Brasil), devia se realizar em Berlim, em agosto de 1936. Só que em 1933, Adolf Hitler tornou-se primeiro-ministro ("chanceler") da Alemanha. Atletas judeus de todo o mundo tentaram fazer um boicote aos jogos, mas o Sindicato dos Atletas Amadores dos Estados Unidos decidiu, em 1935, que seu país devia participar e, aí, esvaziaram-se todos os movimentos de boicote no mundo todo. E deu no que deu: Hitler fez da Olimpíada uma peça gigantesca de propaganda do seu regime. Os adeptos do boicote lembravam que em 1935, Hitler já tinha anexado o Sarre e cinco meses antes da Olimpíada anexou também a Renânia, ambas regiões livres do governo central de Berlim e, no caso do Sarre, um refúgio para os fugitivos do nazismo que chegavam aos montes do resto da Alemanha a partir de 1933. Mas EUA, Rússia, Inglaterra e França (as superpotências de então) resolveram não enfrentar Hitler e deu no que deu: com a propaganda da Olimpíada de agosto de 1936, tornou-se um ídolo das massas alemãs e menos de um ano e meio depois invadia a Áustria e Tchecoslováquia e, em 1939, apagava a Polônia do mapa mundial, repartida que foi com os comunistas de Stálin, o líder da Rússia, então chamada União Soviética. 
E esta história se conta, para que se entenda a necessidade de um boicote a esta Copa do Mundo na Rússia: o atual líder russo, Vladimir Putin, que manda em Moscou desde 1999 e não admite opositores, tem invadido territórios na Ucrânia, Moldova e Geórgia, sem que nenhuma potência mundial o confronte. Da mesma maneira pusilânime que estas potências agiram com as invasões militares promovidas pela Alemanha de Hitler. Bombardeia o território sírio impiedosamente, matando milhares de civis apenas para manter os interesses geoeconômicos da Rússia no Oriente Médio através de um enfrentamento com os EUA e União Europeia. E, diante disso tudo, consegue realizar um evento de propaganda política de nível mundial, como é a Copa do Mundo, ajudado por todas as potências mundiais, com apenas uma ressalva tímida da Inglaterra, já que Putin teria mandado eliminar cidadãos russos no território inglês. 
Leia os 9 pontos abaixo dos últimos atos do governo russo, dentro da Rússia e no resto do mundo, e responda para você mesmo: vale a pena o Brasil participar de uma peça de marketing político dessas diante dos perigos que ela representa para o povo russo e para a paz mundial?

           Investigações nos EUA apontam que hackers russos distorceram o resultado das eleições e levaram Trump ao poder




  1. LEGALIZAÇÃO DO ESPANCAMENTO DE MULHERES  E FILHOS PELOS MARIDOS/PAIS RUSSOS: em fevereiro de 2017, com apoio do Congresso russo e da Igreja Cristã Ortodoxa Russa, Vladimir Putin sancionou a lei que permite aos homens chefes de família espancar suas mulheres e filhos uma vez por ano, desde que não quebrem nenhum osso. Os religiosos cristãos ortodoxos disseram que isso “faz parte das tradições russas”. Nem vamos comentar. Só isso já seria suficiente para nenhum cidadão do mundo pisar na Rússia nesta Copa do Mundo.
  2. INTERFERÊNCIA RUSSA NOS RESULTADOS ELEITORAIS NOS EUA: o governo de Moscou é acusado de interferência direta de hackers a serviço da Rússia nos resultados eleitorais que prejudicaram Hillary Clinton e deram a vitória a Donald Trump nas eleições de 2016 nos Estados Unidos.
  3. ESCOLHAS DA RÚSSIA E QATAR PARA COPAS PODEM TER SIDO FRAUDADAS: Jamil Chade é jornalista internacional e autor do livro “Política, Propina e Futebol” e mostra que há anos corre uma investigação judicial nos Estados Unidos, com o auxílio das autoridades da Suíça, sobre a corrupção no futebol brasileiro e mundial nos últimos 25 anos, o que coloca em dúvida a honestidade da escolha da Rússia (2018) e do Qatar (2022) para sedes de Copa do Mundo. O FBI e as autoridades suíças já prenderam vários dirigentes do futebol mundial, inclusive o dirigente da CBF e ex-governador de São Paulo do período da ditadura militar, José Maria Marin. Rússia e Brasil são dois países que se recusam a ajudar a Suíça e os EUA na punição aos corruptos do futebol, chegando ao cúmulo de no governo Putin terem sido destruídos todos os computadores daquele país que tinham qualquer informação sobre a escolha da Rússia para sede da Copa e uma juíza do Rio de Janeiro proibiu qualquer colaboração do Brasil com o FBI e as autoridades americanas sobre o caso de corrupção no futebol brasileiro e seus dirigentes, isso em pleno governo Dilma, em 2015. Só isso já seria suficiente para qualquer brasileiro ficar com um pé atrás sobre os resultados dos jogos desta Copa da Rússia e da próxima no Qatar. O que estiver nos placares dos estádios russos pode não ser exatamente o que foi jogado em campo e sim resultado dos saldos bancários dos dirigentes de futebol (“cartolas”), políticos, redes de TV e empresas em paraísos fiscais...
  4. ASSASSINATO DE OPOSITORES RUSSOS NA INGLATERRA: o assassinato de opositores do regime russo dentro do território da Inglaterra, em 2018, levou a primeira-ministra Theresa May a liderar um movimento de repúdio ocidental contra a Rússia. Diante disso, Inglaterra e Islândia já decidiram que não vão mandar autoridades de seus países à Copa na Rússia.
  5. LEI DE 2013 PUNE COM MULTA E CADEIA QUEM “FIZER PROPAGANDA DE ATOS SEXUAIS NÃO-TRADICIONAIS”: com este singelo nome (“não-tradicionais”), Vladimir Putin colocou em ação uma caça aos LGBTs na Rússia, chegando alguns membros da Federação Russa, como a Chechênia, a criar campos de concentração para homoafetivos (gays e lésbicas). O Tribunal Europeu de Direitos Humanos, em Estrasburgo, considerou que a lei é “discriminatória e encoraja a homofobia” e estabeleceu multas a serem pagas pelo governo russo a três ativistas LGBTs que foram processados por “propaganda a favor de atos sexuais não-tradicionais”.
  6. INVASÃO E ANEXAÇÃO DA CRIMEIA UCRANIANA: imagine que os EUA, a China ou a Rússia entendessem que o Rio Grande do Norte é um território importantíssimo estrategicamente não só para as viagens espaciais (Base de Alcântara) como para o controle do tráfego marítimo no Atlântico Sul e um deles três resolvesse encher o território potiguar, pacificamente, de americanos, chineses ou russos! Imaginou? Pois é o que a Rússia fez com a Ucrânia há quatro anos. A invasão da Península da Crimeia em fevereiro de 2014, pela Rússia, e sua posterior anexação, foi um golpe de mestre. Durante o mês de fevereiro, Vladimir Putin mandou soldados e civis para a base russa na Crimeia, porque os tolos que governam a Ucrânia cederam parte de seu território nacional para o governo de Moscou na época do colapso da União Soviética que resultou na independência ucraniana. Silenciosamente, os militares e civis russos, aos milhares, passaram o mês invadindo pacificamente a Crimeia. Em março, a Rússia anunciou que estava anexando a península ao seu território. E não deu um tiro sequer. E lá se vão quatro anos e EUA e União Europeia muito esbravejaram, xingaram, mas, de concreto mesmo, nada contra a Rússia.
  7. INTERVENÇÃO MILITAR RUSSA NO LESTE DA UCRÂNIA: a intervenção do governo russo, no início de 2014, com armas e combatentes nas regiões de Donetsk e Lugansk (habitadas por entre 40 e 45% de russos) , na Ucrânia, visando anexá-las posteriormente, como Putin fez com a Crimeia, é um atentado à soberania ucraniana que já dura quatro anos. Milhares de mortos depois, as duas regiões mantêm-se em guerra contra o governo central de Kiev com ajuda militar russa.
  8. OCUPAÇÃO MILITAR DA TRANSNÍSTRIA: quando a União Soviética começou a desabar, em 1990, o Exército Vermelho (Rússia) se antecipou e mandou um enorme contingente bem armado à fronteira entre a República Socialista Soviética da Moldávia e a República Socialista Soviética da Ucrânia e juntou-se aos russos naturais daquela região (chamada pelos moldovos de Transnístria) e declararam a independência da região. Desde então, esta parte do território moldovo (hoje o nome da antiga RSS da Moldávia passou a ser República da Moldova)  passou a ser “independente”, mas, na verdade, é controlado pelo presidente Putin.
  9. OCUPAÇÃO MILITAR DA ABKHÁZIA E OSSÉTIA DO SUL: a situação vista na Transnístria se repetiu nestes dois territórios da antiga República Socialista Soviética da Geórgia, parte da URSS. Em 1991, com o colapso da União Soviética, a linha dura do Exército russo começou a mandar tropas para as regiões georgianas habitadas por abkházios muçulmanos nas margens georgianas do Mar Negro e ossetos, no norte da Geórgia, fronteira com a região semi-autônoma de Ossétia do Norte, pertencente à Rússia. Depois de guerras apoiadas pelos russos, abkházios e ossetos do sul conseguiram se manter independentes do governo georgiano de Tbilisi com a presença de tropas da Rússia, numa clara ocupação militar de partes da Geórgia.
                            Madonna diz: "Talvez Putin seja gay, talvez este seja o problema..."

quarta-feira, 3 de maio de 2017

Confirmando nosso livro "Vá E Não me Chame "PUTIN É O NOVO HITLER: INVADE E TOMA TERRITÓRIOS DA UCRÂNIA E PROMOVE CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO NA CHECHÊNIA



CHECHÊNIA MONTA CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO PARA GAYS E PUTIN, QUE É QUEM MANDA, FAZ CARA DE PAISAGEM, COMO FEZ NA INVASÃO DA CRIMEIA.

Use o link abaixo para saber os detalhes da homofobia russo-chechena:

https://secure.avaaz.org/campaign/po/close_the_gay_torture_centres_loc/?rc=fb&pv=160

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

PRESIDENTE DAS FILIPINAS CHAMA OBAMA DE "FDP" E CONFIRMA O LIVRO "VÁ E NÃO ME CHAME"

O presidente Rodrigo Duterte, das Filipinas, chamou o presidente Obama de, literalmente, "filho da puta", por exigir explicações sobre o assassinato extrajudicial de milhares de usuários de drogas. Isso confirma o que dissemos em nosso guia políticamente incorreto de turismo. Aproveite e compre o seu por menos de 5 dólares (18 reais, mais ou menos) no site https://www.amazon.com/dp/B018KSQM14 e fique sabendo em quais países do mundo não é aconselhável passar suas férias. Veja abaixo o tópico "Filipinas" do nosso guia.
FILIPINAS

O nome é uma homenagem ao rei Filipe II de Espanha, país que colonizou este arquipélago da Ásia durante três séculos. Área: 300.000 km² - Rio Grande do Sul mais Sergipe. São 105 milhões de habitantes  - metade da população brasileira. Para o site visao.sapo.pt/Filipinas são “Mais de 7.000 ilhas, 2.500 delas desabitadas e sem nome”. É um país pobre, embora olhando a linha do horizonte de sua capital, Manila (11 milhões de habitantes), com enormes arranha-céus, pareça ser um país desenvolvido. Falam-se várias línguas, sendo duas oficiais, o Filipino (a língua étnica “Tagalog”) e o Inglês - língua das classes dominantes nas grandes cidades. Curiosidade: Filipinas e Timor Leste são os dois únicos países da Ásia com maioria cristã, ambos católicos. Nem pense em alugar um carro para passear. Dirigir nas Filipinas, seja nas cidades ou nas rodovias, é um perigo, mas, à noite, é totalmente desaconselhado, igual ao Brasil. Assaltos, sequestros, “saidinhas bancárias” e tudo que o brasileiro conhece, ali é um pouco pior ou igual. A região Sul é dominada pela Ilha de Mindanao, de maioria islâmica e desaconselhada para o turismo, pois está sempre em guerra contra o governo central. Transporte mais comum é por ferry-boats e é mais comum ainda o naufrágio destas embarcações, a maioria velha e sem manutenção. De  abril a novembro chove muito: são as monções. De outubro a dezembro, furacões varrem o arquipélago, que é ainda sujeito a tsunamis e terremotos por fazer parte do Cinturão de Fogo do Pacífico, com vários vulcões ativos. Em resumo: um lugar para se ir a trabalho e, assim mesmo, se o trabalho for muito compensador.